quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Marcha de abertura celebra o Fórum Social

carta maior
http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=19445


Marcha de abertura celebra o Fórum Social



Movimentos Sociais| 24/01/2012 | Copyleft 


Carta Maior conversou com ativistas que participaram da marcha de abertura do Fórum Social Temático, em Porto Alegre, e ouviu muitas declarações de entusiasmo, mas também reclamações. Encontro acontece até o próximo domingo (29) e foca temas relacionados à crise financeira internacional, ao meio ambiente e à Rio+20.



Porto Alegre - Nem o calor intenso do início ou a chuva forte no trecho final prejudicaram a "harmonia" da marcha de abertura do Fórum Social Temático, que começou nesta terça-feira (24) em Porto Alegre. O encontro que carrega o histórico lema "Um outro mundo é possível" acontece até o próximo domingo (29).

A caminhada entre o centro da capital e o Anfiteatro do Pôr-do-sol, onde ocorreriam apresentações musicais, ocorreu com muita animação. Milhares de manifestantes participaram da atividade, muitos exibindo bandeiras e faixas de movimentos sociais, sindicatos e ONGs. Outros tocavam instrumentos musicais e assopravam apitos.

Membro do Grupo Somos, que discute em Porto Alegre temas do movimento GLBT, Sandro Ka, de 30 anos, celebrava a chance de divulgar sua causa. ''O Fórum nos interessa porque sempre foi um evento marcado pela diversidade e pluralidade, não só das pessoas, mas também dos temas. Aqui a gente tem a oportunidade de demarcar e fortalecer nosso espaço como grupo", afirmou.

O Fórum Social Temático tem como foco das discussões a crise financeira internacional e o meio ambiente. O debate de propostas para Rio+20, conferência da ONU sobre sustentabilidade que acontece em junho, no Rio de Janeiro, é um dos principais objetivos do encontro. Mesmo assim, não faltam espaços para a discussão de temas diversos, como a causa GLBT.

Interessados no debate sobre sustentabilidade, a estudante de arquitetura chilena Barbara Torres, de 27 anos, e o aluno de filosofia Juliano Bonamigo, de 28, deixaram o Ecoacampamento Aldeia da Paz para participar da marcha. 

Eles explicaram um pouco sobre o projeto com o que estão envolvidos. "É uma proposta bem legal e funciona de um jeito alternativo ao acampamento da juventude. Ele prega valores como o da participação coletiva e autossustentabilidade, com idéias como a bioconstrução''.

Nem todos, porém, demonstravam otimismo com os rumos do fórum. O cientista social Thiago Aguiar, de 22 anos e membro do PSOL, avaliou que o encontro ganhou uma "conotação oficial" e reclamou da presença da presidenta Dilma Rousseff, que falará em uma atividade. 

''Infelizmente o Fórum não é mais o que era antes, quando era a referência do espaço de discussão e debate dos meios alternativos. Perdeu aquela idéia que tinha antes de 'um novo mundo é possível'. Agora ele ganhou uma conotação muito oficial", disse ele, que já participou de outras edições do encontro.

A crítica, porém, não é compartilhada por Ana Luiza, de 49 anos e pela primeira vez em um fórum social. "Estou muito entusiasmada. Ainda não me programei para as atividades, mas vou tentar ir a todas a mesas que tratem de saúde pública, já que é a área em que eu trabalho", contou ela.

Nenhum comentário: